Dos quase R$ 207,74 milhões empenhados pelo governo para repasse aos municípios paraibanos por meio de emendas especiais, chamadas de emendas PIX, 44% devem ser pagas após as eleições municipais de outubro. Os dados foram publicados nesta terça-feira (23) pela Confederação Nacional de Municípios (CNM).

De acordo com o levantamento, do valor empenhados para o estado através de 190 emendas, foram pagos R$ 116,8 milhões. Faltam R$ 90,94 milhões a serem pagos provenientes de 181 emendas pix de parlamentares.

Vedação eleitoral

O adiamento do repasse esbarra na lei das eleições. A norma estabelece como prazo máximo para as operações enquadradas no Orçamento Impositivo, até os três meses que antecedem o dia da votação do primeiro turno até a realização da votação do segundo turno, se houver. Assim, a data limite para o repasse aos Municípios encerrou no último dia 5 de julho.

Dentre outros repasses que ficaram para o período pós-eleitoral, as transferências especiais. A entidade vê com frustração o adiamento dos repasses, deixando centenas de Municípios em segundo plano.

“Muitos prefeitos contavam com esse recurso para finalizar obras, comprar equipamento e atender as demandas urgentes do povo”, disse o presidente da CNM, Paulo Ziulkoski.

Situação nacional

O levantamento da CNM contabilizou um total de 10.684 emendas especiais indicadas a 5.443 Municípios em 2024. Delas, 151 tiveram impedimento técnico e as demais (10.533) estão aptas para transferência a 4.564 prefeituras.

Para receber os recursos, lembra a CNM, os gestores precisam entrar no sistema Transferegov, dar o aceite e obedecer aos trâmites obrigatórios. A ordem de prioridade para o pagamento é definida pelo parlamentar que a indicou, em sua articulação política.

O atual prefeito de São José dos Cordeiros, Felício Queiroz, e pré-candidato à reeleição, se tornou o primeiro candidato a prefeito da região do Cariri paraibano a ter sua candidatura oficialmente registrada na Justiça Eleitoral.

No último sábado, ocorreu a convenção que homologou a candidatura de Felício Queiroz e da vice-prefeita, Rosângela Moura. A convenção foi um marco importante, contando com a presença de lideranças locais e apoiadores, reforçando a força da chapa que busca continuar no comando do município.

No início deste mês, o Instituto IP Pesquisas divulgou uma pesquisa de intenção de votos no município, registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número PB-05977/2024 e realizada no último dia 11 de julho de 2024. Os resultados mostram Felício Queiroz com impressionantes 95,6% das intenções de voto, contra apenas 1,2% de seu adversário. Brancos, nulos e indecisos somaram 3,2%. Foram aplicados 250 questionários, e a amostra possui um intervalo de confiança de aproximadamente 95%, com uma margem de erro estimada em 6,1 pontos percentuais para mais ou para menos.

Felício Queiroz comentou sobre sua candidatura e os resultados da pesquisa: “Estou muito honrado e grato pelo apoio expressivo da população de São José dos Cordeiros. Isso reflete a confiança no trabalho que temos realizado ao longo do nosso mandato. Continuaremos empenhados em promover o desenvolvimento e o bem-estar de nossa cidade, com transparência e dedicação.”

O Tribunal de Contas do Estado da Paraíba, sob a relatoria do conselheiro Andre Carlo Torres Pontes, aprovou por unanimidade na manhã desta quarta-feira (24), as contas do exercício financeiro de 2022, do prefeito de São Sebastião do Umbuzeiro, Adriano Wolff, e considerou todas alegações da defesa, atestando não haver nenhuma irregularidade no exercício financeiro de 2022.

O prefeito Adriano Wolff comemorou o resultado da aprovação de suas 6ª contas aprovadas pelo TCE e agradeceu sua equipe técnica contábil e jurídica, além de todos auxiliares da gestão pelo apoio e êxito dos trabalhos na gestão.

“Só temos a agradecer a todos que colaboraram com esse resultado, chegamos a sexta aprovação de contas pelo TCE, por unanimidade, e isso atesta que nossa gestão cumpre a legislação com compromisso e responsabilidade”, disse o prefeito Adriano Wolff, que acompanhou pessoalmente a aprovação das contas.

Nesta segunda-feira (23), Dr. Gustavo Monteiro, advogado de defesa de Gilson Cruz, acusado do feminicídio contra a jovem Maria Vitória em Monteiro, concedeu uma entrevista nesta terça-feira (23), onde esclareceu pontos cruciais sobre o caso.

Dr. Gustavo relatou o primeiro contato com seu cliente no dia do crime: “Ele entrou em contato comigo por volta das 14:13 da tarde mais ou menos, porém era um domingo, e não tinha visto de imediato aquela mensagem. Ao se identificar e relatar o fato, minha maior preocupação era saber o que tinha acontecido direitinho, saber onde ele estava, e o que ele pretendia fazer. As informações que ele me passou foram levadas às autoridades competentes para sua residência, e posteriormente já começamos a tratar da sua entrega perante as autoridades policiais.”

O advogado enfatizou a importância da perícia no caso: “Estamos aguardando a perícia para sabermos o que de fato aconteceu à luz da ciência, e não à luz do que se diz. Estou de fato aguardando a perícia, há o inquérito policial que ainda não foi concluído, mas provavelmente essa discussão ocorreu pela madrugada,” disse Dr. Gustavo.

Ele também revelou que, no momento da ligação, Gilson Cruz já se encontrava no estado de Pernambuco, não estando mais em Monteiro. “De antemão, minha preocupação era, e aqui também gostaria de prestar solidariedade e relatar a todos os familiares, que infelizmente já havia acontecido o crime, mas não havia mais o que fazer nessa situação, apenas pensar no que pode ser feito daqui em diante.”

Sobre o relacionamento entre Maria Vitória e Gilson Cruz, Dr. Gustavo Monteiro afirmou: “Então, Edvaldo, há um inquérito em andamento, eu ainda não tive acesso a todas as informações, e qualquer informação trazida nesse momento seria irresponsável pela defesa técnica. Acerca da acusação de um possível estupro de vulnerável ou de pedofilia, ele nega veementemente. Esse processo não se trata de buscar impunidade. Estamos diante de um processo onde ele se entregou e se colocou à disposição da justiça para pagar pelo que fez.”

O advogado também destacou que, de acordo com o cliente, a mãe da jovem tinha conhecimento sobre o relacionamento entre a filha e o acusado: “O artigo 217-A do Código Penal diz que manter ou praticar conjunção carnal ou qualquer ato libidinoso com menor de 14 anos caracteriza o crime de estupro de vulnerável. Todavia, segundo informações do meu constituinte, ele a conheceu no ano passado, quando ela já tinha ultrapassado os 14 anos, e, consequentemente, à luz da justiça, não caracteriza um crime de estupro de vulnerável. Inclusive, sobre esse ponto, temos prova de que esse envolvimento se deu após os 14 anos dela, e a mãe da jovem estava ciente do relacionamento.”

Com Paraíba da Gente 

WhatsApp Image 2024-07-24 at 08.33.14A cidade de Gurjão, no Cariri do Paraíba, realizará uma das festas que movimenta cada vez mais a economia na região, principalmente a caprinovinocultura. Desta sexta-feira (26) ao domingo (28), a cidade espera milhares de pessoas para o grande evento do Bode na Rua 2024.

Denominado como “o bode mais charmosos do cariri” a festa é uma das maiores da caprinocultura do Nordeste.

O evento está em outras proporções afinal são 22 anos. Sempre procurando melhorar e aperfeiçoar sua estrutura para receber os visitantes. Para o secretário de Desenvolvimento Rural Orlando Júnior, os preparativos estão sendo finalizados com sucesso, e esse ano, com um recorde de presenças de criadores.

A programação musical contará com shows das bandas: Brasas do Forró, Banda Encantus, os cantores Thiago Freitas, Rey Vaqueiro e Gegê Bismarck e outras atrações que movimentarão a cidade por três dias.

Palestras, torneios leiteiros e exposições de animais de raça serão alguns dos atrativos do evento. Outras atividades que movimentarão a cidade por três dias.

Com De Olho no Cariri

Empresas de E-commerce como a AliExpress e a Shopee, resolveram antecipar a cobrança do imposto de importação de 20% sobre compras internacionais de até US$ 50.

Segundo regras determinadas pelo Governo Federal, a cobrança iniciaria no dia 1º de agosto, mas as empresas aplicarão as taxas a partir do próximo sábado (27). Além dos 20%, o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) de 17% continuará incidindo sobre os preços dos produtos.

A AliExpress afirma que “tendo em vista o prazo necessário para ajuste das declarações de importação, de acordo com a nova regulamentação, todos os pedidos de compras efetuados na plataforma do AliExpress a partir do dia 27 de julho irão contemplar as novas regras tributárias”.

A Shopee explica que a taxa será aplicada a partir do dia 27, “visto que os pedidos terão o DIR (Declaração de Importação de Remessas) emitidos a partir do dia 1º de agosto. Manteremos a transparência em nossas comunicações com os nossos consumidores, os valores serão calculados e detalhados na finalização da compra”.

O Ministério de Portos e Aeroportos lança nesta quarta-feira (24) a primeira fase do programa Voa Brasil, voltado para oferecer passagens aéreas mais acessíveis que deverá proporcionar passagens aéreas de até R$ 200.

Nesta etapa, o foco será nos aposentados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que não tenham viajado de avião nos últimos 12 meses. Cada beneficiário terá direito a duas passagens por ano por até R$ 200 cada trecho.

As companhias se comprometeram em disponibilizar 3 milhões de passagens ao longo dos próximos 12 meses. A previsão mais recente é que o Voa Brasil seja lançado até o fim de julho, mas esse prazo ainda dependerá di aval do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Inicialmente, o governo previa que o público-alvo do programa também incluiria alunos do Programa Universidade Para Todos (Prouni), de bolsas universitárias para alunos de baixa renda. No entanto, o governo federal quer, primeiro, avaliar o resultado da oferta de passagens.

Nesta sexta-feira (26) e sábado (27), acontecem as eleições da Associação Paraibana de Imprensa (API-PB). A chapa “API Unida e Renovada”, liderada pelos jornalistas Marcos Wéric e Karla Alencar, é a única inscrita e busca a reeleição aos cargos de presidente e vice-presidente, respectivamente. Serão também eleitos as demais vagas para a Diretoria Executiva, Conselho Deliberativo e Fiscal.

Todos os associados estão aptos para participar da eleição. Para votar, basta apresentar a carteirinha de sócio ou qualquer documento de identificação com foto. O horário de votação será de 8h da manhã até às 17h.

Nesta sexta-feira, a eleição acontece nas cidades do interior do estado. Em Cajazeiras, os associados poderão votar na Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL). Em Sousa e Guarabira, a votação ocorrerá na Câmara Municipal. Já em Patos, o local de votação será o Ponto da História, na Rua Frei Martinho, 58, no Centro. Em Pombal, os votantes poderão comparecer à Rádio Liberdade. E em Campina Grande, os associados poderão votar na Associação Campinense de Imprensa (ACI).

No sábado, a votação acontece em João Pessoa, na sede da API-PB, na Avenida Visconde de Pelotas, 149, no Centro. A apuração dos votos será realizada imediatamente após a votação, sob a fiscalização da Comissão Eleitoral, presidida pelo advogado Rômulo Oliveira.

Em todas estas cidades haverá uma urna itinerante, para incluir os votos daqueles que estarão impossibilitados de ir até o local da votação. O associado que estiver nesta situação deve procurar a comissão eleitoral local.

O candidato a presidente Marcos Wéric expressou sua gratidão pela confiança depositada na chapa. “Me sinto honrado e grato por estarmos com uma chapa heterogênea e com vontade de fazer mais pela API. Queremos transformar a nossa entidade em um espaço novo e melhor para todos”, afirmou.

Karla Alencar, também candidata a reeleição como vice-presidente, ressaltou a importância da chapa ter maioria de mulheres na diretoria executiva. “Isso representa um passo significativo para a igualdade de gênero na imprensa paraibana e fortalece nossa capacidade de representar e atender a todos os associados”.

Já a diretora de Comunicação Social, Edilane Ferreira, que se mantém no cargo, destacou a relevância da chapa ser montada preservando a representatividade negra. “Nestes últimos três anos, estivemos atuantes nos principais debates sociais do Estado, como foi com a criação do Comitê do Centro Histórico, a promoção de eventos que refletiram sobre os desafios de se fazer comunicação. Essa postura estimula nossa categoria a contribuir de forma significativa para a sociedade paraibana”, pontuou.

Chapa “API Unida e Renovada”
– Presidente: Marcos Wéric
– Vice-presidente: Karla Alencar
– Secretário Geral: Vilma Giuseppe
– Tesoureiro: Cristiano Teixeira
Diretorias:
– Diretor Social: Gil Figueiredo
– Diretor de Cultura: Afra Soares
– Diretor de Assuntos Políticos: Petson Santos
– Diretor de Comunicação Social: Edilane Ferreira
Suplentes de Diretoria:
– Joelma Alves
– Josélio Carneiro
– Cógenes Lira
Diretoria de Base:
– Campina Grande: Astrogildo Pereira
– Sousa: Levi Dantas
– Cajazeiras: José Neto
Conselho Deliberativo:
1. Naldo Silva
2. Jean Bronzeado
3. Jarismar Pereira
4. Andreia Barros
5. Alexandre Freire
6. Naná Garcez
7. Ary Ramalho 
8. Edmilson Pereira
9. Claudia Carvalho
Conselho Fiscal:
1. João Pinto
2. Fred Meneses
3. Fernando Braz
Suplentes:
1. Sebastião Filho
2. Josué Cardoso
3. Angelita Lucas.

A Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Paraíba (OAB-PB), tem se destacado na gestão do presidente Harrison Targino na formação profissional e na construção de uma rede de proteção e valorização da advocacia. Durante entrevista a um programa de rádio, o presidente destacou o curso de pós-graduação da Escola Superior da Advocacia (ESA), o maior da história da entidade, com 2,8 mil inscritos, e a rede de proteção às prerrogativas.

“Trabalhamos para o fortalecimento de uma entidade que é a entidade de todos nós. Eu creio que a OAB da Paraíba, nesses tempos, cresceu em serviços e atuação, passando pela construção de uma rede de proteção à advocacia, que é a rede de prerrogativas. Nós institucionalizamos uma rede ativa em todo o estado, unida e adequada, visando à defesa da dignidade da advocacia”, afirmou Harrison Targino, lembrando que a sua gestão é horizontal e de portas abertas.

O presidente destacou que a Escola Superior da Advocacia (ESA) tem garantido a formação de milhares de advogados e advogadas em todo o estado, oferecendo aos profissionais o maior curso de especialização da sua história. São 2,8 mil advogados e advogadas, do sertão ao litoral, inscritos na especialização em Direito Previdenciário. “É a maior da história, com vários cursos voltados à formação profissional e às habilidades e competências necessárias para enfrentar este tempo, sem descuidar de ser uma entidade participativa que garante os espaços”, frisou.

De acordo com Harrison, a OAB-PB também prioriza a defesa da advocacia por meio da Comissão de Prerrogativas, quando a Seccional se faz presente nas 11 Subseções distribuídas por todo o estado. Entre as ações, destaca-se a realização da Caravana de Prerrogativas, de forma presencial, onde cada advogado e advogada relata a realidade da advocacia na sua região. Assim, a partir das informações obtidas, a OAB-PB tomou as medidas necessárias em defesa dos profissionais, buscando cada vez mais a valorização da classe.

Também se destaca a realização de cursos de defesa das prerrogativas e a realização de concurso para procurador de prerrogativas. “O concurso é mais um compromisso de campanha que foi efetivado e significa a profissionalização do trabalho da OAB”, disse Harrison Targino.

Membro do Pleno do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba, como representante da Advocacia, Maria Cristina Santiago (conhecida por Kiu) declarou apoio ao advogado Fábio Andrade, que disputa o cargo de desembargador do Tribunal de Justiça da Paraíba, na vaga que compete à Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Paraíba.

Kiu afirma que o principal critério que legitima a candidatura de Fábio Andrade é a vasta experiência do ex-procurador-geral do Estado na advocacia, seja na esfera pública ou privada.

“Fábio é um exemplo de integridade na advocacia. Sua trajetória é marcada pela ética e pela dedicação ao direito, o que o torna extremamente qualificado para o cargo de desembargador”, afirmou.
Maria Cristina Santiago concorreu à presidência da OAB-PB em 2021. Foi a primeira mulher a disputar o cargo. Ela assumiu como jurista na Corte Eleitoral em 2022.

A advogada destacou ainda a habilitação técnica de Fábio Andrade. Com uma sólida formação jurídica – são 23 anos como advogado militante -, Fábio possui todas as credenciais necessárias para exercer o cargo de desembargador.

“A competência técnica de Fábio é indiscutível. Ele possui o conhecimento e a experiência necessários para contribuir significativamente com o TJPB,” disse Kiu.

As pautas da advocacia feminina incorporadas por Fábio Andrade também foram determinantes para o apoio, explicou Kiu. Disse que o colega advogado tem se mostrado um defensor ativo dos direitos das mulheres na profissão, promovendo a igualdade de gênero e valorização.

“Tem sido um aliado valioso na luta pela igualdade na advocacia. Ele entende e apoia as demandas das advogadas, o que reforça ainda mais sua candidatura e legitimidade para exercer o cargo postulado,” destacou Kiu.

Em postagem nas redes sociais, Fabio Andrade agradeceu a Kiu pelo apoio a sua candidatura. “Uma declaração de apoio que me enche de orgulho, felicidade e gratidão. Uma mulher que representa de maneira exemplar o que é ser, ao mesmo tempo, mãe, advogada e professora de tantas e de tantos”.

E avaliou: “Receber o apoio de Maria Cristina Santiago (Kiu), no começo dessa jornada,aumenta a responsabilidade e me faz reiterar todos os compromissos com as advogadas e com os advogados da Paraíba”.

Eleições distintas – A jurista aproveitou para lembrar que é preciso separar as eleições em curso na OAB-PB: a que vai escolher a lista sêxtupla para desembargador através do Quinto Constitucional e a que vai eleger o novo presidente da Ordem.

“Mais do que ninguém, sei o que representa isso. Fui candidata, mas a eleição do Quinto Constitucional está sujeita a parâmetros diferentes da eleição da OAB. E, por esta razão, a advocacia deverá eleger os seis melhores nomes possíveis para o cargo de desembargador. A eleição [para presidente] da OAB será resolvida em outro momento”, deixou claro.

A eleição do Quinto Constitucional está marcada para 18 de setembro. Já a que vai definir o novo presidente da Ordem acontecerá só em novembro deste ano.

O PSB, PL, PP, MDB, PDT e a Federação PT, PC do B e PV realizam convenção partidária para homologar os candidatos a prefeito, vice-prefeito e vereadores no próximo dia 1° de agosto, uma quinta-feira, a partir das 16 horas, na Quadra de Esportes da Escola Estadual José Leite de Sousa.

Na convenção será homologado o nome da enfermeira e ex-secretária de Saúde Ana Paula (PSB) como candidata a prefeita e o do vereador Cajó Menezes (PL) como vice-prefeito, além dos 42 candidatos a vereadores da coligação “Monteiro avança cada vez mais”.

A prefeita Anna Lorena, presidente do PSB de Monteiro, disse que aguarda a participação de toda a militância do PSB monteirense e dos demais partidos aliados para darem o ponta pé inicial para a campanha de Ana Paula e de todos os demais candidatos que tiverem seus nomes homologados na convenção.

A Paraíba saiu na frente no processo eleitoral de 2024 com o registro da primeira candidatura a prefeito no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PB). O município de Bernardino Batista saiu na frente, oficializando a candidatura de Marquinho Gomes (MDB) para prefeito, tendo como vice-prefeita Selma De Tino De Albuino (MDB).

A candidatura de Marquinho Gomes foi confirmada na manhã desta terça-feira (23), após verificação no portal DivulgaCandContas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Os partidos têm até o dia 5 de agosto para realizar suas convenções e escolher seus candidatos. Já o prazo final para o registro das candidaturas junto ao TSE é até 15 de agosto. Com a abertura do período de registros, outras cidades da Paraíba devem seguir o exemplo de Bernardino Batista, formalizando suas candidaturas e dando início oficial às campanhas eleitorais.

Vale lembrar que qualquer cidadão brasileiro pode concorrer a um cargo público, desde que atenda aos requisitos estabelecidos pela lei atual, como ser brasileiro, estar com os direitos políticos em dia, estar registrado como eleitor e residir no local onde se candidatar por pelo menos seis meses antes da eleição, além de ser filiado a um partido político pelo mesmo período.

A Federação das Associações de Municípios da Paraíba (Famup), por meio do presidente George Coelho, está alertando gestores de 87 municípios paraibanos que ainda não enviaram o Plano Anual de Aplicação de Recursos (PAAR) da Política Nacional Aldir Blanc de Fomento à Cultura (PNAB). O prazo final para envio é até 31 de julho.

“É importante que os gestores se atentem para esse prazo, pois não haverá nova prorrogação. Sem PAAR no transfere.gov o município não poderá fazer uso do recurso. O processo demanda tempo e por isso é importante não deixar para última hora devido possível congestionamento do site e da plataforma”, destacou George Coelho.

O PAAR é um formulário que vai detalhar o Plano de Ação cadastrado na plataforma Transferegov pelos entes federativos que aderiram à PNAB. É por meio desse documento que os gestores vão especificar as atividades que serão realizadas com os recursos recebidos. Apesar de avançar no detalhamento das iniciativas, vale destacar que modelos de editais ou datas finais de execução das ações, por exemplo, não precisam ser pontuados nessa fase da execução.

Para ficar apto a receber os recursos, o município tem que: Fazer convocatória no diário oficial do município; Após reunião com os artistas ou conselho de Cultura lavrar a ata e publicar no diário oficial; Preencher o formulário do PAAR no site do MinC, depois publicar o PDF no diário oficial; e entrar no traansfere.gov e inserir os documentos solicitados no Relatório de gestão.

O presidente George Coelho destacou ainda que a Famup está a disposição dos prefeitos, prefeitas e dos secretários para tirar dúvidas sobre o processo de preenchimento do formulário do PAAR. “Estamos com os nossos técnicos a disposição para ajudar no que for necessário. Esse é um recurso importante para o fomento da nossa cultura”, disse, acrescentando que a Federação está notificando os gestores dos 87 municípios que ainda não enviaram a documentação.

Adiamento – O fim do prazo para envio do PAAR estava previsto para 31 de maio. Mas, diante do número reduzido de formulários enviados, e de ampla solicitação apresentada pela Rede Nacional de Gestores Municipais de Cultura, pelo Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Estaduais, e pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM), o MinC entendeu que seria preciso estender o calendário para evitar prejuízos à execução da Política.

Veja como preencher o formulário:

Acesse o tutorial para preenchimento do formulário e envio na Transferegov: https://www.gov.br/cultura/pt-br/assuntos/pnab/guias-praticos-1/copy5_of_TutorialPAARPNAB2aedio1.pdf

A Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Paraíba (OAB-PB), registrou 21 pedidos de inscrição de advogados nas eleições para formação de lista sêxtupla para o cargo de desembargador do Tribunal de Justiça (TJPB), oriundo do Quinto Constitucional. As inscrições foram encerradas nessa terça-feira (22).

A Comissão Eleitoral, formada para organizar, dirigir e supervisionar todo o processo eleitoral, publicou comunicado nesta quarta-feira (23) informando o número de inscritos e que todos os pedidos de inscrição serão analisados pelo prazo de 05 dias. A formação da lista sêxtupla será feita em eleição direta entre os advogadas e advogados. A data será definida pela Comissão a partir de 18 de setembro de 2024.

O presidente da Comissão, Afrânio de Melo, destaca que a eleição terá urna de votação nas cidades de João Pessoa, Campina Grande, Patos e Guarabira. “Também iremos realizar sabatinas com os candidatos”, acrescentou.

Confira abaixo a lista de inscritos, em ordem alfabética.

ANNA CARLA LOPES CORREIA LIMA DE FREITAS

BRENO WANDERLEY CESAR SEGUNDO

BRUNO AUGUSTO ALBUQUERQUE DA NÓBREGA

CLAUDECY TAVARES SOARES

DOUGLAS WINKELER BELTRÃO

FÁBIO ANDRADE MEDEIROS

FELIPE CRISANTO MONTEIRO NOBREGA

FLÁVIA DE PAIVA MEDEIROS DE OLIVEIRA

FRANCISCA LOPES LEITE DUARTE

FRANCISCO ASSIS FIDELIS DE OLIVEIRA FILHO

JANAYNA NUNES PEREIRA

JONAS GUEDES DE LIMA

JOSÉ FERNANDES MARIZ

LINDAURA SHEILA BENTO SODRÉ

LUIZ PEREIRA DO NASCIMENTO JUNIOR

NEVITA MARIA PESSOA DE AQUINO FRANCA

ROMULO RHEMO PALITOT BRAGA

SAULO MEDEIROS DA COSTA SILVA

THIAGO LEITE FERREIRA

VALDOMIRO DE SIQUEIRA FIGUEIREDO SOBRINHO

VERUSKA MACIEL CAVALCANTE

Impactos climáticos na Paraíba são previsíveis e podem ser observados como consequências da ação humana — Foto: Reprodução/TV Cabo BrancoEntre os anos de 2022 e 2023, a Paraíba apresentou uma aumento de 106,5% na área desmatada. Os dados do último Relatório Anual do Desmatamento do Brasil mostram que, no ano passado, a área desmatada na Paraíba era superior a 13 mil hectares, o que corresponde a mais de 12 mil campos de futebol. Uma reportagem especial do Núcleo de Dados da Rede Paraíba de Comunicação ouviu pesquisadores sobre o assunto e conversou com moradores que são constantemente afetados pelos impactos climáticos.

É assustador perceber que, a cada amanhecer, o planeta dá inúmeros sinais de que algo não está nada bem. São alertas claros: a praia, um dos espaços públicos naturais mais democráticos que existe, parece, aos poucos, desaparecer sob as ondas.

As temperaturas escaldantes transformam uma simples caminhada em um desafio. As fortes chuvas alagam cidades e causam destruição e sofrimento.

Ildenis Almeida é morador da comunidade São Rafael, no Castelo Branco. Ele conta que quando chove muito, não pode dormir, precisa ficar em alerta para evitar que a água entre em casa. “Teve uma vez que eu estava numa enchente que chegou a água até aqui, mais ou menos um metro e vinte, um metro e dez. Quando a draga faz o serviço bem feito no rio, a gente não sofre as consequências, mas quando não faz, a gente sofre as consequências, todos os moradores”, desabafa.

Cada decisão tomada por nós influencia o futuro do nosso planeta. E o presente é resultado de escolhas feitas lá atrás.

Na Paraíba, o cenário chama a atenção. Em João Pessoa, por exemplo, de acordo com dados do Instituto Nacional de Meterorologia, em 1964, a média da temperatura, em João Pessoa, foi de 29,5ºC. Em 1993, 29,8ºC. Nos anos 2000, a média da temperatura já começou a atingir a casa dos 30ºC. Em 2005, a temperatura média chegou a 30,2ºC. Em 2017, a média da temperatura atingiu pela primeira vez em 31,1ºC. E em 2024, até o mês de maio, a média da temperatura está em 33ºC. Extremos climáticos cada vez mais evidentes.

Impactos previsíveis, consequências constantes

Até parece que são consequências isoladas, mas tudo está interligado: desertificação, chuvas, alagamentos, altas temperaturas. O professor do Departamento de Geografia da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), Ranyére Nóbrega, explica que nada é coincidência e que as mudanças observadas não tem, necessariamente, ligação com o volume total da chuva, mas sim com a distribuição.

“Por exemplo, os eventos estão cada vez mais intensos. Então quando você pega no ano todo, a média, quando a gente faz a média, o volume de precipitação está quase a mesma coisa. Quando nós analisamos o número de dias com chuva, esses números de dias estão cada vez menores”, detalha o professor.

Isso significa que as chuvas estão mais intensas em curto período. “Para um ambiente urbano como João Pessoa, vai trazer problemas como alagamentos, movimentos de massa e tudo mais. Para um ambiente de semiárido, será horrível. Se essa concentração de chuva diminuir ainda mais no contexto de mudanças climáticas, passar a chover durante dois meses, um mês, como é que essa água será captada e armazenada para suprir as necessidades?”, completa Ranyére Nóbrega.

Se esses impactos estão intimamente ligados, as mudanças nos padrões climáticos tendem a acontecer cada vez mais, o que também interfere na intensidade e frequência das chuvas. As mais de 700 famílias que vivem na Comunidade São Rafael, em João Pessoa, sentem os danos dessa força da natureza na pele.

De acordo com a Defesa Civil, João Pessoa tem, pelo menos, 27 áreas de risco monitoradas. No bairro do Castelo Branco, a Comunidade São Rafael, foi a primeira do Complexo Beira Rio a passar por esse mapeamento, projeto que começou em 2015 e só foi finalizado em 2021.

Mais Lidas do dia