Zabé da Loca comemora 91 anos de idade

A pifeira mais famosa do Brasil, Izabel Marques da Silva, conhecida como Zabé da Loca, completou 91 anos de idade no último sábado (17). A comemoração aconteceu no sítio Tungão, em Monteiro, onde reside a artista. O vice-prefeito do município, Cajó Menezes, esteve participando da comemoração ao lado da pifeira.

O vice-prefeito chegou ao local do evento acompanhado de aproximadamente 30 cavaleiros que saíram de Monteiro no final da tarde e percorreram 15 quilômetros.

Além de Cajó Menezes, participaram das festividades os secretários de Cultura, Alexandre César (Bilú) e da Agricultura e Meio Ambiente Alexandre Magno e o vereador Toinho de Nequinho, que cantaram os parabéns e assistiram ao corte do bolo ao lado de centenas de pessoas que se aglomeraram no pátio de frente a residência da famosa pifeira.

O evento contou com várias apresentações artísticas, entre elas Reisado de Zabelê, João de Amélia, Banda de Pife Curumins da Serra, Mazurca de Santa Catarina, Banda de Pife Mané de Joana (Camaláu), Pife Perfumado, Os Florianos do Pife (Campina Grande), Banda de Pife Zeca do Pio X (Sumé), Cacau Arcoverde e Samba Coco, Antenor Cazuza (Prata) e Forró Pé de Serra com os sanfoneiros da região.

Centenas de admiradores da cultura e jornalistas de diversas cidades da Paraíba e Pernambuco também marcaram presença e dançaram ao som das atrações, que só finalizaram as apresentações com o clarear do dia.

Ainda durante a solenidade dos 91 anos de nascimento de Zabé da Loca, o secretário Alexandre César (Bilú) entregou três computadores que foram doados pela Prefeitura de Monteiro a AZLOCA – Associação Zabé da Loca, que é presidida pela articulista Joseane Caiano.

SAIBA MAIS

Isabel Marques da Silva, mais conhecida como Zabé da Loca, é uma pifeira brasileira. Nasceu em Buíque, Pernambuco, no dia 12 de janeiro. Seu apelido se deriva do fato de ter vivido por mais de 25 anos em uma loca (ou gruta), fechada por duas paredes de taipa em um sítio nas proximidades da cidade de Monteiro, Paraíba.

Em 2003, gravou seu primeiro CD, Canto do Semi-Árido, com composições próprias e uma versão de Asa Branca, de Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira.

Apresentou-se em 2004 no Fórum Cultural Mundial, ao lado de Hermeto Pascoal. Em 2007, gravou o CD Bom Todo, lançado no ano seguinte no Sesc Pompéia, em São Paulo. Ainda em 2008, recebeu a Ordem ao Mérito Cultural, do Ministério da Cultura. Também foi eleita “Revelação da Música Brasileira”, no Prêmio da Música Brasileira.

Você pode gostar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *