Prefeito paraibano que escondeu dinheiro na cueca sai da prisão

Depois de pagar uma fiança de R$ 522,5 mil, o prefeito afastado de Uiraúna, João Bosco Fernandes, saiu da penitenciária média de Mangabeira, onde estava preso desde dezembro do ano passado acusado de receber propina e de participar de um esquema de desvio de dinheiro investigado na Operação Pés de Barro, que também atingiu o deputado federal Wilson Santiago.
Amigos e familiares se mobilizaram e conseguiram arrecadar o valor para João Bosco. O dinheiro foi depositado no início da semana em conta judiciária determinada pelo STF.

O alvará de soltura diz que João Bosco deve se submeter a medidas cautelares como uso de tornozeleira eletrônica, proibição de se ausentar do País, tem que entregar o passaporte à Polícia Federal. O prefeito afastado também está proibido de ter acesso ao prédio da Prefeitura Municipal, além das sedes das secretarias e autarquias.

O ministro Dias Tóffoli manteve a suspensão do mandato e ele não pode ter contato com os demais acusados na operação e nem com pessoas que exerçam cargo, emprego ou função pública, seja da administração direta e indireta.

Você pode gostar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *