Paraíba registra redução de 47% nos ataques a bancos e de 23% nos roubos em 2020

A Paraíba registrou uma redução de 47% nos ataques a bancos e de 23% nos roubos no ano passado, de acordo com os dados do Anuário da Segurança Pública de 2020, divulgado segunda-feira (25) no programa semanal ‘Conversa com o governador’, transmitido em cadeia estadual pela Rádio Tabajara. Os indicadores criminais ainda apontam que o estado apresentou a segunda menor taxa de assassinato da década e a terceira menor do Nordeste.

Os dados ainda constataram uma redução de 20% nos roubos e furtos de veículos; recuperação de 3.218 veículos; e apreensões de 3.500 armas de fogo e de 4,5 toneladas de drogas. Além disso, foram realizadas 16,9 mil prisões, das quais 2.262 são consideradas de interesse estratégico.

Em 2020, as forças de Segurança efetuaram também 10.969 operações preventivas e 114 operações repressivas. Já o Corpo de Bombeiros Militar contabilizou 2.601 vidas salvas em acidentes e agressões.

O chefe do Executivo estadual destacou que a integração das ações das Polícias Militar e Civil, do Corpo de Bombeiros e da Administração Penitenciária tem dado respostas efetivas à sociedade paraibana. “Esses números representam o grande trabalho das pessoas que integram o nosso sistema de Segurança. As operações e o planejamento postos em prática permitiram tantos números positivos. Essa é uma lição extraordinária da união de esforços entre todos os entes que fazem a Segurança da Paraíba”, frisou.

O secretário de Estado da Segurança e da Defesa Social, Jena Nunes, afirmou que os números são resultado da capacidade e da produtividade dos integrantes das forças de Segurança. “2020 foi um ano atípico, mas conseguimos dar uma resposta positiva, graças à liderança do nosso governador e ao esforço de toda equipe que tem se voltado para este trabalho e os dois anos da gestão do governador foram os que registraram os menores números de homicídios da década”, comentou.

Distribuição de vacinas na Paraíba – O secretário Jean Nunes também ressaltou o trabalho das Polícia Civil e Militar para garantir a distribuição segura das vacinas no estado. “Essa é uma ação prioritário para as forças de Segurança, com a recepção e transporte dos imunizantes. Nós temos a missão de fazer essa distribuição no menor espaço de tempo para todas as regiões e assim vem sendo feito com todo o empenho das estruturas de Segurança”, disse.

Você pode gostar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *