O ‘restinho’ de água no açude do Congo

O leitor Eraldo Oliveira, de Campina Grande, envia imagens de como está triste a situação do açude do Congo, com a seca que assola a região. Conta ele de lá, e encaicamos de cá, que o reservatório que nos seus tempos áureos já serviu para passeios de jet ski e lanchas, hoje encara a situação de ter pouco mais de 4% de sua capacidade. As imagens foram feitos do alto da pousada Serrinha, que mesmo diante da seca, continua atraindo vários turistas para seu aconchegante espaço.

Você pode gostar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *