Assembleia aprova requerimentos de Tovar que beneficiam 16 municípios

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) aprovou, por unanimidade na sessão da quarta-feira (2), requerimentos de autoria do deputado Tovar Correia Lima (PSDB) que beneficiam 16 municípios. As proposições do parlamentar são nas áreas de recursos hídricos, segurança pública e desenvolvimento humano.

Entre as aprovações estavam requerimentos que pedem a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social para tomar providência de aumentar o efetivo policial nos municípios de Campina Grande, Puxinanã, Boa Vista, Remígio, Fagundes, Piancó, Olho D’água, Santa Rita, Santana dos Garrotes, Ouro Velho, Massaranduba, Sapé, Puxinanã, Boa Ventura, Nova Floresta, Itaporanga, além de viaturas policiais para Massaranduba e Puxinanã.

O deputado também solicitou que a delegacia de Remígio funcione em regime de plantão nos finais de semana, em razão, segundo ele, das constantes infrações penais cometidas na localidade.

Também foi requerido pelo parlamentar para que a Secretaria de Infraestrutura inclua no Programa de Construção de Cisternas para a captação de água na zona rural os municípios de Olho D’água, Boa Vista, Santana dos Garrotes, Fagundes, Santa Rita, Puxinanã, Massaranduba, Itaporanga, Sapé, Nova Floresta, Boa Ventura, Ouro Velho e Serra Branca.

O deputado conseguiu ainda a aprovação de requerimentos que pedem a Secretaria de Desenvolvimento Humano a realização do recadastramento/cadastramento dos beneficiários do Programa do Leite nos municípios de Campina Grande, Serra Branca, Itaporanga, Santana dos Garrotes, Olho D’água, Desterro, Santa Rita, Remígio, Boa Ventura, Puxinanã, Fagundes, Boa Vista, Sapé, Piancó, Serra Branca, Ouro velho e Nova Floresta.

Em um dos requerimentos aprovados, o deputado pede ao governador do Estado e aos secretários de Segurança e Defesa Social e da Administração Penitenciária, providências conforme orientação do Ministério Público da Paraíba (MPPB), para se abster de utilizar policiais militares de efetuarem escolta de albergados do sistema penitenciário.

Você pode gostar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *