Na entrada da cidade de Prata, para quem vai ou chega no município, a Prefeitura instalou alguns redutores de velocidade para atender a população.

“Foi uma medida que adotamos para evitar acidentes, pois alguns motoristas estavam abusando da velocidade e colocando em risco a vida das pessoas. Recebemos várias solicitações neste sentido e resolvemos atender a comunidade agindo preventivamente”, destacou o prefeito Genivaldo Tembório.

Segundo o prefeito, a referida via oferece intenso fluxo de veículos, dificultando a passagem de pedestres. “Os motoristas transitam em altíssima velocidade não respeitando nenhum limite imposto. Portanto, a implantação de redutores de velocidade, facilitará a travessia, evitando acidentes e trazendo mais segurança a todos”.

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) registrou, nesta sexta-feira (16), 1.124 casos de Covid-19. Entre os confirmados hoje, 107 (9,51%) são casos de pacientes hospitalizados e 1.017 (90,48%) são leves. Agora, a Paraíba totaliza 277.793 casos confirmados da doença, que estão distribuídos por todos os 223 municípios. Até o momento, 794.184 testes para diagnóstico da Covid-19 já foram realizados.

Também foram confirmados 40 novos óbitos desde a última atualização, sendo 24 nas últimas 24h.

Os óbitos ocorreram entre os dias 03 de março e 16 de abril de 2021, sendo 05 deles em hospitais privados, 02 em residência e os demais em hospitais públicos. Com isso, o estado totaliza 6.387 mortes. O boletim registra ainda um total de 194.049 pacientes recuperados da doença.

Concentração de casos

Cinco municípios concentram 555 novos casos, o que corresponde a 49,37% dos casos registrados nesta sexta. São eles: João Pessoa, com 380 novos casos, totalizando 75.408; Campina Grande, com 87 novos casos, totalizando 25.492; Bayeux, com 33 novos casos, totalizando 5.720; Santa Rita, com 29 novos casos, totalizando 6.781; Cajazeiras, com 26 novos casos, totalizando 6.190.

  • Dados oficiais preliminares (fonte: e-sus VE, Sivep Gripe e SIM) extraídos às 10h do dia 16/04/2021, sujeitos a alteração por parte dos municípios.

Óbitos

Até esta sexta, 215 cidades paraibanas registraram óbitos por Covid-19. Os 40 óbitos confirmados neste boletim ocorreram entre residentes dos municípios de Alagoa Grande (1), Bananeiras (1), Borborema (1), Cabedelo (1), Campina Grande (2), Conde (1), Dona Inês (1), Esperança (1), Gurinhém (1), João Pessoa (20), Nova Floresta (1), Piancó (1), Pombal (1), Princesa Isabel (1), Santa Rita (2), Sapé (1), Solânea (1), Sumé (1) e Tacima (1).

As vítimas são 21 homens e 19 mulheres, com idades entre 36 e 95 anos. Hipertensão e diabetes foram as comorbidades mais frequentes e 10 não tinham comorbidades.

Ocupação de leitos Covid-19

A ocupação total de leitos de UTI (adulto, pediátrico e obstétrico) em todo o estado é de 67%. Fazendo um recorte apenas dos leitos de UTI para adultos na Região Metropolitana de João Pessoa, a taxa de ocupação chega a 70%. Em Campina Grande estão ocupados 67% dos leitos de UTI adulto e no sertão 72% dos leitos de UTI para adultos. De acordo com o Centro Estadual de Regulação Hospitalar, 58 pacientes foram internados nas últimas 24h. Ao todo, 756 pacientes estão internados nas unidades de referência.

Cobertura Vacinal

Foi registrado no sistema de informação SI-PNI a aplicação de 741.431 doses. Até o momento, 561.683 pessoas foram vacinadas com a primeira dose e 179.448 com a segunda dose da vacina. Um total de 1.029.630 doses já foram distribuídas.

Os dados epidemiológicos com informações sobre todos os municípios e ocupação de leitos estão disponíveis em: www.paraiba.pb.gov.br/coronavirus

O ministro da Saúde, paraibano Marcelo Queiroga, visitou o Hospital Metropolitano de Santa Rita, onde trabalhou antes de ser nomeado no Governo Federal, e disse que trocou as cirurgias pelas vacinas. “Troquei as cirurgias pelas vacinas. O povo brasileiro está precisando das vacinas.” Ele visitará outros hospitais ainda nesta sexta-feira (16), em João Pessoa, e deve cumprir agenda amanhã (17) em Campina Grande.

“Hoje mesmo chegou à Paraíba mais de 100 mil doses da vacina. Estamos conversando aqui com o governador João Azevêdo, com o prefeito Cícero Lucena, com os nossos parlamentares e nosso esforço é de obter mais vacinas para o povo brasileiro”, declarou o ministro da Saúde.

Segundo o médico, a visita à Paraíba é uma “recomendação que eu recebi do presidente da República, Jair Bolsonaro, para que eu visitasse os estados, para que visse como os brasileiros estão sendo assistidos nas UTI’s e nos hospitais de uma maneira geral para que o Governo Federal possa levar assistência, sobretudo, recursos na habilitação de leitos Covid, para apoiar os governadores e os prefeitos com insumos estratégicos para o sistema de saúde.”

O ministro também pontuou que “há uma dificuldade com esses insumos no mercado internacional. Mas, com a união de todos, do Governo Federal, Governo do Estado e dos Governos Municipais haveremos de superar esse momento difícil da saúde pública internacional que o Brasil também passa.”

Uma carreta carregada com milho e torta tombou na manhã desta sexta-feira na rodovia PB 148, entre Parari e o trevo de acesso à Serra Branca, no Cariri paraibano.

O veículo era ocupado pelo motorista e três outras pessoas, todas naturais de Taperoá, no Cariri da Paraíba. Segundo informações repassadas pelo sargento Custódio, os ocupantes tiveram apenas ferimentos leves.

O motorista foi identificado como Claudiano Gabriel dos Santos, de 29 anos. Ele foi o ocupante com maiores escoriações e foi levado para o Hospital de Taperoá. Os outros três foram socorridos para o Hospital de Serra Branca, mas passam bem.

O acidente provavelmente foi motivado por uma perda de controle do carro, em meio a uma das curvas existentes na estrada. Ainda não se sabe se houve falha mecânica no veículo.

Com De Olho no Cariri

Os senadores da CPI da Covid-19 fecharam nesta sexta-feira (16) acordo para a composição dos cargos de comando e o senador Renan Calheiros (MDB-AL) será o relator da investigação, segundo a colunista Vera Magalhães, do Jornal O Globo. A decisão deve desagradar o presidente Jair Bolsonaro.

O colegiado será presidido por Omar Aziz (PSD-AM) e o vice-presidente será o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

O acordo foi selado entre os oposicionistas e chamados “independentes” que integram a CPI. O governo ainda tentava operar para tirar a relatoria de Renan, mas como ele se acertou com o correligionário Eduardo Braga (DB-AM), nome que era o da preferência do Planalto, sedimentou a maioria a favor do seu nome.

Os líderes governistas ainda vão tentar atuar para melar o acordo, tentando persuadir Braga a disputar a relatoria com seu correligionário do MDB. Mas trata-se de uma tarefa inglória: Renan e o amazonense integram o mesmo grupo dentro da bancada, e têm jogado afinados desde que o alagoano foi derrotado para a presidência da Casa, em 2019.

A Paraíba recebeu, na madrugada desta sexta-feira (16), um novo lote com 110.250 doses de vacinas contra a Covid-19. O lote seguiu do aeroporto Castro Pinto para a sede da Secretaria de Estado da Saúde, onde os imunizantes serão separados nesta manhã e distribuídos para os 223 municípios a partir do meio dia.

São 66.250 doses da vacina AstraZeneca/Oxford e outras 44 mil da CoronaVac. Essa é a 13ª distribuição de imunizantes feita pelo Ministério Saúde, que deverá manter o ritmo de 10 milhões de doses semanais para os estados.

Até essa quinta-feira doi registrado no sistema de informação SI-PNI a aplicação de 731.797 doses. Até o momento, 556.998 pessoas foram vacinadas com a primeira dose e 174.799 com a segunda dose da vacina. Um total de 919.380 doses já foram distribuídas.

O salário mínimo em 2022 será de R$ 1.147 e não terá aumento acima da inflação, anunciou o Ministério da Economia. O reajuste consta do projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) de 2022, enviado hoje (15) ao Congresso Nacional.

O valor é R$ 47 maior que o salário mínimo atual, de R$ 1.100, e representa uma alta de 4,27% — que é a previsão do Ministério da Economia para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) deste ano, feita no mês de março.

Até 2019, o salário mínimo era reajustado segundo uma fórmula que previa o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB, soma das riquezas produzidas no país) de dois anos antes mais a inflação oficial do ano anterior. Desde o ano passado, o reajuste passou a seguir apenas a reposição do INPC, por causa da Constituição, que determina a manutenção do poder de compra do salário mínimo.

Segundo o Ministério da Economia, cada aumento de R$ 1 no salário mínimo tem impacto de aproximadamente R$ 315 milhões no orçamento. Isso porque os benefícios da Previdência Social, o abono salarial, o seguro-desemprego, o Benefício de Prestação Continuada (BPC) e diversos gastos são atrelados à variação do mínimo.

O valor do salário mínimo para o próximo ano ainda pode ser alterado, dependendo do valor efetivo do INPC neste ano. Pela legislação, o presidente da República é obrigado a publicar uma medida provisória até o último dia do ano com o valor do piso para o ano seguinte.

Em 2021, o salário mínimo está em R$ 1.100. Como o INPC do ano passado encerrou 2020 em 5,45%, puxado pela inflação dos alimentos, o valor do mínimo deveria ser R$ 1.102, mas o governo até hoje não incorporou a diferença de R$ 2 ao salário mínimo. Caso não faça isso antes do fim do ano, o resíduo será incorporado ao salário mínimo em 2022.

Paraibaonline

A Paraíba recebeu nesta sexta-feira (16), 110.250 doses de vacinas contra a covid-19. As vacinas chegaram ao aeroporto Castro Pinto durante a madrugada. O secretário de Estado da Saúde, Geraldo Medeiros, informou que as equipes da Secretaria separarão as doses que serão enviadas para cada município ainda nesta manhã. A distribuição deve ser iniciada ao meio-dia.

São 44 mil doses da Coronavac, do Instituto Butantan, e 66.250 doses da vacina da Astrazeneca, produzida pela Fiocruz.

Em João Pessoa, após a falta de vacinas para aplicação da segunda dose, o imunizante do Butantan deve ser utilizado apenas para este público, enquanto a vacina da Astrazeneca ficará para quem precisa tomar a primeira dose. Na Capital paraibana, a primeira dose deve ser aplicada em pessoas a partir de 55 anos, que possuam comorbidades.

Nota Informativa

Atualizada em 15-04-2021

A Secretaria Municipal de Saúde de Monteiro informa que nesta Quinta-feira, 15, tivemos mais 06  novos casos, CONFIRMADOS para COVID-19.

Sendo 02 (dois) casos de 10 e 51 anos de idade, sexo feminino, e 04 (quatro) casos de  34, 51, 61 e 65 anos de idade, sexo masculino. Foram orientados a realizar o isolamento domiciliar e estão sendo monitorados pela equipe de Vigilância em Saúde e Unidades Básicas de Saúde do Município.

Totalizamos até esta data 24 (vinte e quatro) pacientes internos, sendo, 01 (um) paciente na UPA do Alto Branco, 06 (seis) pacientes no Hospital das Clínicas um paciente em Estado Grave, 13 (treze) pacientes no Hospital Pedro I e 01 (um) paciente no Hospital de Trauma, 01 (um) paciente no João XXIII todos em Campina Grande, 01 (um) pacientes no Hospital da Unimed, paciente apresenta quadro grave e 01 (uma) paciente no Hospital Metropolitano todos em João Pessoa.

Atestamos que nesta data foram registrados mais 10 (dez) novos casos recuperados, totalizando 2626 casos recuperados da COVID-19.

Reforçamos a importância de toda população seguir as orientações do distanciamento social, o uso de máscaras, a higienização das mãos com álcool 70% e demais medidas apresentadas pela Secretaria de Saúde.

O STF (Supremo Tribunal Federal) formou maioria nesta quinta-feira (15) para anular as condenações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e devolver os direitos políticos do petista.

Os ministros Edson Fachin, Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes, Rosa Weber, Alexandre de Moraes, Dias Toffoli e Cármen Lúcia votaram nesse sentido.

Indicado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o ministro Kassio Nunes Marques foi o único a divergir. O magistrado defendeu a revogação da decisão de Fachin.

Os demais magistrados concordaram que as ações contra Lula não tratavam apenas da Petrobras e que a competência da 13ª Vara Federal de Curitiba dizia respeito somente a processos com vinculação direta com a estatal petrolífera.

Os ministros ainda devem decidir se os processos devem ser remetidos à Justiça Federal do Distrito Federal ou de São Paulo.

Em duas das quatro ações, casos conhecidos como tríplex de Guarujá (SP) e do sítio de Atibaia (SP), Lula foi condenado por corrupção e lavagem de dinheiro, sentenças já confirmadas em instâncias superiores. Com isso, o ex-presidente foi enquadrado na Lei da Ficha Limpa.

A decisão de Fachin que determinou a transferência dos processos para a capital do país havia sido tomada no dia 8 de março.

Na semana seguinte, a PGR (Procuradoria-Geral da República) apresentou ao Supremo um recurso para restabelecer as condenações.

Ao recorrer da decisão de Fachin, a subprocuradora-geral da República Lindôra Araújo argumentou que a Lava Jato apontou crimes praticados no âmbito do esquema criminoso que pilhou a Petrobras.

Segundo a acusação, contratos da estatal com a construtora OAS estão na origem de valores ilícitos direcionados a Lula.

A denúncia, disse a representante do Ministério Público Federal, relata elos entre os contratos da OAS firmados com a Petrobras e a vantagem ilícita obtida por Lula. “Há de ser preservada a competência do juízo de origem”, afirmou Lindôra.

Na defesa de sua decisão, Fachin disse ser “forçoso reconhecer que o caso não se amolda ao que tem sido decidido majoritariamente no âmbito da Segunda Turma [do STF]”.

“A competência da 13ª Vara foi sendo entalhada à medida que novas circunstâncias fáticas foram trazidas ao conhecimento do STF, que culminou por afirmá-la apenas aos crimes direta e exclusivamente praticados em relação à Petrobras”, afirmou.

Em diversas passagens do seu voto, Fachin reafirmou a jurisprudência do Supremo que fixou na 13ª Vara Federal os casos que dizem respeito exclusivamente à estatal petrolífera.

Ele citou decisões da Segunda Turma da corte que, desde 2015, tiraram do Paraná várias apurações da Lava Jato.

No caso do triplex do Guarujá, motivo do habeas corpus de Lula ao Supremo que resultou na decisão de Fachin do início de março, o ministro afirmou que a denúncia não atribuiu ao ex-presidente “uma relação de causa e efeito entre sua atuação como presidente da República e determinada contratação pelo grupo da OAS com a Petrobras, em decorrência da qual se tenha acertado o pagamento da vantagem indevida”.

“Na estrutura delituosa delimitada pelo Ministério Público ao paciente [Lula], são atribuídas condutas condizentes com a figura central do imputado grupo como grupo criminoso organizado, com ampla atuação nos diversos órgãos pelos quais se espalharam as práticas ilícitas, sendo a Petrobras um deles”, disse.

“Não se trata apenas de corrupção identificada no mensalão e na Petrobras, isso é afirmação do Ministério Público”.

E prosseguiu: “Ao longo de todos os anos, em que Lula, diz o Ministério Público, ocupou o mais alto cargo do Poder Executivo Federal, diversos outros casos de corrupção semelhantes foram verificados.”

O relator da Lava Jato mencionou que as apurações apontaram irregularidades na Eletronuclear, Ministério do Planejamento e na Caixa, “um cenário de macrocorrupção política”, segundo ele.

Indicado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para o STF, Kassio Nunes Marques divergiu do colega Edson Fachin e votou contra a anulação das condenações de Lula.

Na avaliação de Kassio, as ações penais contra o petista devem prosseguir na 13ª Vara Federal de Curitiba, hipótese que devolve ao ex-presidente a condição de inelegível e impede sua participação nas eleições de 2022.

O ministro afirmou que as investigações do petista que tiveram origem na 13ª Vara Federal de Curitiba têm conexão com os crimes cometidos na Petrobras e não devem ser invalidadas e remetidas à Justiça Federal do DF.

Na linha do que defendeu a PGR, o ministro recorreu a uma série de achados da apuração do caso triplex do Guarujá para sustentar a relação dos contratos da OAS firmados com a Petrobras e a vantagem ilícita obtida por Lula.

“Os fatos versados nas ações penais descritas estão, de fato, associados diretamente ao esquema criminoso de corrupção e lavagem de dinheiro investigado no contexto da Operação Lava Jato cuja lesividade veio em detrimento exclusivamente da Petrobras”, afirmou. “E, assim sendo, a competência, a meu sentir, é da 13ª Vara Federal.”

O julgamento desta quinta foi iniciado na quarta-feira (15), quando o Supremo decidiu manter a análise da matéria no plenário da corte.

Por 9 a 2, os ministros rejeitaram o pedido da defesa do ex-presidente para que o tema fosse analisado pela Segunda Turma, colegiado que é integrado por cinco magistrados e tem perfil contrário à Lava Jato.

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Paraíba, Paulo Maia, deve se candidatar novamente à presidência da OAB-PB. Em entrevista ao programa Arapuan Verdade desta quinta-feira (15), ele disse que o regimento não proíbe reeleição, levantando a hipótese de que poderá ser candidato pela terceira vez.

Paulo Maia já foi eleito duas vezes seguidas presidente da OAB-PB.

Atualmente, já estão surgindo pré-candidatos para a eleição a presidente da Ordem na Paraíba. O advogado Inácio Queiroz já anunciou sua pré-candidatura, o advogado Raoni Vita é cotado para a disputa.

Com ClickPB

O governo federal propôs um salário mínimo de R$ 1.147 para 2022, segundo o projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) do ano que vem. O texto foi divulgado pelo Ministério da Economia nesta quinta-feira (15), último dia de prazo para o envio da proposta ao Congresso.

O valor é R$ 47 maior que o salário mínimo atual, de R$ 1.100, e representa uma alta de 4,27% — que é a previsão do Ministério da Economia para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) deste ano, feita no mês de março.

O número divulgado indica que o governo pretende apenas repor a perda da inflação do período, sem valorização real do salário mínimo (entenda abaixo).

A Lei de Diretrizes Orçamentárias estabelece as bases para a aprovação do orçamento do ano seguinte e, por isso, traz previsões dos principais indicadores econômicos. Se a inflação verificada no fim do ano for diferente da previsão, o governo pode rever o valor durante a tramitação do próprio orçamento.

De acordo com informações do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o salário mínimo serve de referência para 50 milhões de pessoas no Brasil, das quais 24 milhões de beneficiários do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Para os anos seguintes, o governo propôs um salário mínimo de R$ 1.188 em 2023 e de R$ 1.229 em 2024. Esses valores são apenas uma referência, e também podem ser alterados posteriormente.

A Constituição determina que o salário mínimo tem de ser corrigido, ao menos, pela variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do ano anterior.

Em 2021, porém, o salário mínimo de R$ 1.100 não repôs a inflação do ano passado. A correção aplicada pelo governo foi de 5,26%, mas a inflação medida pelo INPC somou 5,45% no ano passado. Para que não houvesse perda de poder de compra, o valor do salário mínimo deveria ter sido reajustado para R$ 1.101,95 neste ano.

Sem aumento real

O valor do salário mínimo proposto pelo governo para o ano que vem tem correção somente pela inflação, ou seja, pela estimativa do governo para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (INPC).

Esse formato foi adotado em 2020, quando a área econômica concedeu reajuste somente com base na inflação de 2019. Com isso, o governo mudou a política de aumentos reais (acima da inflação) que vinha sendo implementada nos últimos anos, proposta pela presidente Dilma Rousseff e aprovada pelo Congresso.

A política de reajustes pela inflação e variação do PIB vigorou entre 2011 e 2019, mas nem sempre o salário mínimo subiu acima da inflação.

Em 2017 e 2018, por exemplo, foi concedido o reajuste somente com base na inflação porque o PIB dos anos anteriores (2015 e 2016) teve retração. Por isso, para cumprir a fórmula proposta, somente a inflação serviu de base para o aumento.

Impacto nas contas públicas

O reajuste do salário mínimo também tem impacto nas contas públicas, pois os benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e o abono salarial não podem ficar abaixo do valor do salário mínimo.

De acordo com cálculos do governo, o aumento de cada R$ 1 no salário mínimo implica despesa extra em 2020 de aproximadamente R$ 315 milhões. Um aumento de R$ 47, portanto, representa uma despesa extra de quase R$ 15 bilhões.

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), rejeitou nesta quinta-feira (15) um habeas corpus impetrado pela defesa do ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) para derrubar a medida cautelar que impede o socialista se ausentar de João Pessoa.

Ricardo foi preso em dezembro de 2019 no âmbito da Operação Calvário, mas posto em liberdade.

A defesa alegou excesso de prazo na cautelar “sem que tenha sido recebida a denúncia da ação penal e sem a permanência de condições que a justifiquem, visto que os supostos fatos delituosos teriam se encerrado em 2018”.

O ministro, porém, não acatou os argumentos.

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu dois alertas, de perigo e de perigo potencial, na manhã desta quinta-feira (15), em virtude de acumulado de chuva e previsão de chuvas intensas e para 62 e 174 cidades da Paraíba, respectivamente. Todos os 223 municípios do estado foram incluídos em pelo menos um dos avisos e 13 localidades foram compreendidas nos dois, que seguem até as 11h desta sexta-feira (16).

Alerta de perigo por acumulado de chuva

Neste alerta estão incluídas 62 cidades do Litoral, Zona da Mata, Agreste e Brejo da Paraíba. Para estas áreas o Inmet prevê chuvas entre 30 e 60 milímetros por hora ou entre 50 e 100 milímetros por dia. Há risco de alagamentos, deslizamentos de encostas, transbordamentos de rios, em cidades com tais áreas de risco.

O instituto aconselha que a população evite enfrentar o mau tempo, observe alteração nas encostas e, se possível, desligue aparelhos elétricos e quadro geral de energia. Recomenda ainda que, em caso de situação de inundação, ou similar, proteja os pertences da água envoltos em sacos plásticos.

Cidades incluídas no alerta de perigo:

Alagoa Grande

Alagoinha

Alhandra

Araçagi

Areia

Bananeiras

Bayeux

Baía Da Traição

Belém

Borborema

Caaporã

Cabedelo

Caiçara

Caldas Brandão

Capim

Conde

Cruz Do Espírito Santo

Cuitegi

Cuité De Mamanguape

Curral De Cima

Dona Inês

Duas Estradas

Guarabira

Gurinhém

Ingá

Itabaiana

Itapororoca

Itatuba

Jacaraú

João Pessoa

Juarez Távora

Juripiranga

Lagoa De Dentro

Logradouro

Lucena

Mamanguape

Marcação

Mari

Mataraca

Mogeiro

Mulungu

Natuba

Pedras De Fogo

Pedro Régis

Pilar

Pilões

Pilõezinhos

Pirpirituba

Pitimbu

Riachão

Riachão Do Poço

Rio Tinto

Salgado De São Félix

Santa Rita

Sapé

Serra Da Raiz

Serraria

Sertãozinho

Sobrado

São José Dos Ramos

São Miguel De Taipu

Tacima

Alerta de perigo potencial por chuvas intensas

Neste alerta estão incluídas 174 cidades do Cariri, Seridó, Sertão, Agreste, Brejo da Paraíba. Para estas áreas o Inmet prevê chuvas entre 20 e 30 milímetros por hora ou de até 50 milímetros por dia, com ventos intensos (40-60 km/h). Há baixo risco de corte de energia elétrica, queda de galhos de árvores, alagamentos e de descargas elétricas.

O instituto aconselha que em caso de rajadas de vento as pessoas não se abriguem debaixo de árvores ou estacionem veículos próximos a torres de transmissão e placas de propaganda. Também devem evitar o uso de aparelhos eletrônicos ligados à tomada.

Cidades incluídas no alerta de perigo potencial:

Água Branca

Aguiar

Alagoa Grande

Alagoa Nova

Alcantil

Algodão De Jandaíra

Amparo

Aparecida

Arara

Araruna

Areia

Areia De Baraúnas

Areial

Aroeiras

Assunção

Bananeiras

Baraúna

Barra De Santa Rosa

Barra De Santana

Barra De São Miguel

Belém Do Brejo Do Cruz

Bernardino Batista

Boa Ventura

Boa Vista

Bom Jesus

Bom Sucesso

Bonito De Santa Fé

Boqueirão

Borborema

Brejo Do Cruz

Brejo Dos Santos

Cabaceiras

Cachoeira Dos Índios

Cacimba De Areia

Cacimba De Dentro

Cacimbas

Cajazeiras

Cajazeirinhas

Camalaú

Campina Grande

Caraúbas

Carrapateira

Casserengue

Catingueira

Catolé Do Rocha

Caturité

Conceição

Condado

Congo

Coremas

Coxixola

Cubati

Cuité

Curral Velho

Damião

Desterro

Diamante

Dona Inês

Emas

Esperança

Fagundes

Frei Martinho

Gado Bravo

Gurjão

Ibiara

Igaracy

Imaculada

Ingá

Itaporanga

Itatuba

Jericó

Joca Claudino

Juarez Távora

Juazeirinho

Junco Do Seridó

Juru

Lagoa

Lagoa Seca

Lastro

Livramento

Malta

Manaíra

Marizópolis

Massaranduba

Matinhas

Mato Grosso

Maturéia

Montadas

Monte Horebe

Monteiro

Mãe D’Água

Natuba

Nazarezinho

Nova Floresta

Nova Olinda

Nova Palmeira

Olho D’Água

Olivedos

Ouro Velho

Parari

Passagem

Patos

Paulista

Pedra Branca

Pedra Lavrada

Piancó

Picuí

Pilões

Pocinhos

Pombal

Poço Dantas

Poço De José De Moura

Prata

Princesa Isabel

Puxinanã

Queimadas

Quixabá

Remígio

Riacho De Santo Antônio

Riacho Dos Cavalos

Riachão

Riachão Do Bacamarte

Salgadinho

Santa Cecília

Santa Cruz

Santa Helena

Santa Inês

Santa Luzia

Santa Teresinha

Santana De Mangueira

Santana Dos Garrotes

Santo André

Serra Branca

Serra Grande

Serra Redonda

Serraria

Soledade

Solânea

Sossêgo

Sousa

Sumé

São Bentinho

São Bento

São Domingos

São Domingos Do Cariri

São Francisco

São José Da Lagoa Tapada

São José De Caiana

São José De Espinharas

São José De Piranhas

São José De Princesa

São José Do Bonfim

São José Do Brejo Do Cruz

São José Do Sabugi

São José Dos Cordeiros

São João Do Cariri

São João Do Rio Do Peixe

São João Do Tigre

São Mamede

São Sebastião De Lagoa De Roça

São Sebastião Do Umbuzeiro

São Vicente Do Seridó

Tacima

Taperoá

Tavares

Teixeira

Tenório

Triunfo

Uiraúna

Umbuzeiro

Vieirópolis

Vista Serrana

Várzea

Zabelê

Mais informações podem ser obtidas junto à Defesa Civil (telefone 199) e ao Corpo de Bombeiros (telefone 193).

Mais Lidas do dia